Resguardo no pós-parto: tire todas as suas dúvidas

Saiba como é o resguardo de parto normal e de cesárea e o que acontece quando eles são quebrados

resguardo quebrado pode trazer riscos à saúde da mulher e à do seu parceiro. O papai e a mamãe precisam saber que devem respeitar o tempo recomendado por especialistas antes de retomarem a atividade sexual depois do parto. Se o casal desobedecer a essa orientação, poderá desenvolver infecções.

A seguir, explicaremos os principais problemas associados ao descumprimento do resguardo. Também existem medidas que a mulher pode adotar para acelerar a recuperação depois do parto. Por exemplo, é bom ficar atenta sobre quais alimentos podem ser consumidos e os que devem ser evitados, após dar à luz.

Definição de resguardo

O período corresponde ao momento de involução do útero que ocorre após o nascimento do bebê e da saída da placenta. Esse intervalo de tempo também abrange a duração da recuperação do tecido uterino em que houve a inserção placentária.

É importante pontuar que não há diferenças entre o resguardo do parto normal e o da cesariana. Assim, os cuidados e o tempo de recuperação são semelhantes em ambos os casos. “Isso porque é algo fisiológico e natural do corpo da mulher”, afirma Carolina Curci, ginecologista e obstetra.

Enquanto o Dr. Jurandir Piassi Passos, médico do Departamento de Obstetrícia da UNIFESP – EPM, detalha que o prazo pode variar. Porém, há um período mínimo recomendado. “O tempo de duração do resguardo pós-parto é de aproximadamente 40 dias, variando um pouco para mais ou para menos dependendo de cada mulher”, explica o obstetra.

Problemas do resguardo quebrado

O período de recuperação dos órgãos genitais femininos deve ser respeitado. “O resguardo caracteriza-se pela saída de um fluxo vaginal de início vermelho vivo, como uma menstruação, que vai escurecendo, tornando-se marrom escuro e que gradualmente vai clareando até se tornar incolor, chamado lóquio. Essa secreção é rica em proteínas e altera o pH vaginal”, afirma Passos.

O casal deve ficar atento para impedir o surgimento de complicações que geralmente são decorrentes de atividade sexual ocorrida durante o período de resguardo. Há o risco de infecção vaginal e uterina para a mulher. Já para o homem, aumenta a chance de infecção prostática.

Os problemas podem acontecer porque, depois do parto, as paredes da vagina demoram um tempo para cicatrizarem por completo. Mesmo com a lubrificação durante o sexo, ela não vai evitar machucados nas camadas de tecido que revestem a parede da vagina. Por isso, a mulher pode sentir dor e depois desenvolver infecções vaginais.

Ela também deve ficar atenta se perceber um cheiro diferente nas secreções depois do parto. A expulsão de líquidos da vagina é comum, mas se o odor ficar muito forte ou se surgir muito sangue, é sinal de uma infecção. Se isso acontecer, busque um atendimento médico imediatamente.

Recuperação mais rápida

Depois de dar à luz, a mamãe pode ter uma recuperação mais rápida se adotar alguns cuidados. Ela deve manter uma dieta saudável. Isso inclui alimentos que fornecem nutrientes como ferro e proteína, por exemplo. Isso porque são importantes para auxiliar na cicatrização dos tecidos e no fortalecimento do sangue.

Por isso, a mulher que busca um resguardo mais acelerado deve ingerir itens como ovos, carne e peixe. Também não podem ficar fora da alimentação produtos como feijão e beterraba.

Nos primeiros 15 dias após o parto, ela deve evitar fazer esforços e atividades braçais para garantir uma melhor regeneração. Nesse período, o recomendado é praticar regularmente apenas exercícios físicos de intensidade leve e moderada.

Mitos e verdades

Muitas informações circulam sobre o que pode e o que não pode ser feito durante o resguardo. É importante distinguir o que é verdade e o que é mito. Assim, a mamãe vai tomar boas decisões do que fazer e do que evitar. A seguir, reunimos alguns esclarecimentos sobre isso.

Engravidar depois do parto é impossível

Essa afirmação é um mito. Ainda que o período fértil da mulher geralmente aconteça 45 dias depois de dar à luz, existe uma probabilidade, mesmo que pequena, de ela engravidar novamente.

Não se deve lavar a cabeça

Essa crença antiga também não é verdade. Nesse período, os hábitos de higiene são ainda mais importantes, inclusive a lavagem da cabeça.

O cabelo tende a cair

Segundo a Dra. Curci, realmente, é possível que o cabelo da mulher caia depois do parto. Isso acontece por conta das alterações hormonais, além do estresse e da dieta inadequada.

O desejo sexual diminui

Fato! A queda do apetite sexual é comum no resguardo, também devido à mudança hormonal. Outro fator que contribui para isso é o cansaço causado pelos cuidados com o bebê.

Com base no que foi apresentado, você aprendeu que é preciso evitar relações sexuais e ter cuidados com a alimentação e com a prática de exercícios físicos durante o período de recuperação do pós-parto. É preciso ter atenção, afinal, já explicamos que o resguardo quebrado pode causar problemas de saúde na mulher e no seu parceiro.

 

Fonte: Bebê Mamãe

Leia também:

Puerpério – A fase delicada do pós-parto

Cuidados e dicas pós-parto

De volta à forma no pós parto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>