Febre Infantil – O que fazer? Quando procurar o médico?

 

 

Está preparada para os momentos de febre infantil? Confira aqui o que e quando fazer na hora que seu filho tiver febre!

Ta aí um assunto que deixa a maioria das mães de cabelo em pé, ou melhor seria dizer de telefone de pediatra e emergências em mãos. Brincadeiras a parte, é um assunto muito sério, e por isso vamos entender melhor quando é normal, quando é aceitável e quando devemos procurar ajuda, porque ela acontece e como podemos aliviar os sintomas em casa.

A febre é um sintoma de uma infecção ou inflamação, o que mais comumente ocorre são as infecções virais como as respiratórios, urinárias, otites, amigdalites e pneumonias. Na maioria dos casos você não precisa se preocupar, pois na medida que ela vem, ela vai embora espontaneamente.

Os sintomas mais comuns de um estado febril em uma criança é: ficar com o rostinho vermelho, sente frio e calafrios, pode ficar abatida e não querer comer, brincar, etc., os pés e as mãos ficam frios, o coração pode ficar acelerado, respira mais rápido que o normal, pode ter dores de cabeça e musculares.

Vamos ver o que representa cada marco de temperatura no termômetro quando se diz respeito a febre infantil:

Até 37,2ºC

Tudo normal até aqui, algumas pessoas apresentam organismos com temperaturas mais elevadas, portanto até aqui ainda seria considerado normal.

Entre 37,2 e 37,8 ºC (Estado Febril)

É apenas um estado febril, pode regredir e normalizar ou continuar aumentando, portanto você precisa monitorar com o auxílio de um termômetro vá fazendo verificações para averiguar a temperatura.

Acima de 37,8ºC

Geralmente é uma reação normal do organismo, se defendendo. Continue monitorando se haverá aumento ou se a criança está apresentando outros sintomas além do “calorão”.

Qual o melhor termômetro para medir a temperatura?

O termômetro mais confiável é o tradicional de mercúrio, mas a Anvisa suspendeu sua venda por questões ambientais. Portanto temos no mercado hoje as versões digitais que apresentam variações na sua medição, portanto é importante que você adquira um produto com selo de certificação do Inmetro para garantir a confiabilidade do produto.

Quando entrar com medicação para baixar a febre?

Os pediatras só consideram febre a partir de 37.8ºC portanto por mais que nosso cuidado de mãe queira já sair dando remédio, a questão aqui é se conter e não medicar temperaturas abaixo de 37.8ºC, o que deve ser feito é algumas medidas para aliviar os sintomas de mal-estar como: aliviar o excesso de roupas, dar um banho morno na criança, ou fazer compressas de água morna na cabeça, virilha e axila a cada cinco minutos e manter a criança sempre bem hidratada.

NUNCA dê banho frios ou de álcool! Caso a criança não queira comer, tudo bem! Ofereça alimentos nutritivos mas não insista caso ela não queira, o mais importante é que ela se mantenha bem hidratada, portanto ofereça bastante líquidos ao longo do dia, mesmo que ela beba só um pouco de cada vez.

Se a temperatura se elevar (leia-se acima de 37.8ºC) neste caso pode-se entrar com medicação antitérmica mas é preciso de orientação do pediatra para melhor administração de dosagem e tipo de medicamento.

Geralmente entre 30 a 40 minutos após administração da medicação é para a temperatura diminuir, aliviando os sintomas de mal-estar. Caso após 3 horas ainda não tenha diminuído, informe ao pediatra que pode sugerir uma outra medicação ou ainda uma intercalação de medicamentos com composições diferentes.

ALERTA: No caso de bebês menores de 3 meses e temperaturas superiores a 37.8ºC procure um profissional como o pediatra que já está acompanhando o seu bebê para o avaliar e assim lhe passar as informações adequadas.

Crianças que apresentem temperaturas acima de 39ºC e apresentem associados ou não sintomas como vômitos, diarréia, falta de ar, letargia, palidez, manchas na pele devem procurar um profissional urgentemente.

Nos demais casos se a febre persistir por 48h mesmo que a criança aparentemente esteja bem, é importante investigar a causa da febre, deve-se procurar um médico, pois existem vírus que vem associados com sintomas mais aparentes outros não.

E quando há risco da tão temida convulsão?

Quando se fala em febre, mães automaticamente já ligam a luzinha de ALERTA, pois todas tem medo da terrível convulsão que pode ocasionar quando a termperatura da criança sobe rapidamente. As características da convulsão ocasionada por febre é a rigidez e tremor nos braços e pernas, e em geral a crise dura de 1 a 2 minutos, e normalmente não traz sequelas.

O mais importante nessa situação é manter a calma, deixar a criança confortável, deitada e com a cabeça um pouco elevada para facilitar a respiração. Se durar mais que um período a criança deve ser levada imediatamente para o hospital. Você precisa estar atenta se há casos de predisposição genética, caso haja é importante que o pediatra seja informado para poder orientar com mais exatidão a situação.

E nos casos de hipotermia?

Hiportermia é o contrário dos casos citados acima, a temperatura em vez de aumentar, ela DIMINUI podendo ter como fatores geradores: exposição ao frio demasiado, doenças infecciosas graves e choques. A temperatura não pode baixar de 35.5ºC, caso isso ocorra procure um médico para receber as instruções adequadas de como proceder.

 

Fonte: Sou mãe 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>