CORONAVÍRUS – o que você precisa saber e como se prevenir

O Coronavírus é o vírus mais falado atualmente e tem causado muito pânico e medo por onde passa, por conta dele países tem fechado suas fronteiras, pessoas tem sido impedidas de saírem de casas, escolas tem tido suas aulas suspensas e por aí vai a lista de implicações que ele tem causado pelo mundo inteiro.

Apesar de sua letalidade ser baixa, a sua propagação é altíssima e até o momento não se encontrou ainda nem vacina ou remédio que possam tratar ou prevenir a doença, então precisamos estar muito atentos aos cuidados gerais que devemos ter como forma de prevenção da doença, e para isso reunimos uma série de informações importantes que você precisa saber sobre o Coronavírus.

Sobre o Coronavírus:

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde meados dos anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem. Os coronavírus comuns que infectam humanos são alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS da síndrome em inglês “Severe Acute Respiratory Syndrome”. SARS é causada pelo coronavírus associado à SARS (SARS-CoV), sendo os primeiros relatos na China em 2002. O SARS-CoV se disseminou rapidamente para mais de doze países na América do Norte, América do Sul, Europa e Asia, infectando mais de 8.000 pessoas e causando entorno de 800 mortes, antes da epidemia global de SARS ser controlada em 2003. Desde 2004, nenhum caso de SARS tem sido relatado mundialmente.

Em 2012, foi isolado outro novo coronavírus, distinto daquele que causou a SARS no começo da década passada. Esse novo coronavírus era desconhecido como agente de doença humana até sua identificação, inicialmente na Arábia Saudita e, posteriormente, em outros países do Oriente Médio, na Europa e na África. Todos os casos identificados fora da Península Arábica tinham histórico de viagem ou contato recente com viajantes procedentes de países do Oriente Médio – Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes e Jordânia.

Pela localização dos casos, a doença passou a ser designada como síndrome respiratória do Oriente Médio, cuja sigla é MERS, do inglês “Middle East Respiratory Syndrome” e o novo vírus nomeado coronavírus associado à MERS (MERS – CoV)

(saúde.sp.gov.br)

Manifestações Clínicas

Os coronavírus humanos comuns causam infecções respiratórias brandas a moderadas de curta duração. Os sintomas podem envolver coriza, tosse seca, dor de garganta e febre. Esses vírus algumas vezes podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia. Esse quadro é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos.

(saúde.sp.gov.br)

Período de incubação:

De 2 a 14 dias.

Período de Transmissibilidade

De uma forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o SARS-CoV e o MERS-CoV. Durante o período de incubação e casos assintomáticos não são contagiosos.

Transmissão inter-humana

Todos os coronavírus são transmitidos de pessoa a pessoa.

Modo de Transmissão

De uma forma geral, a principal forma de transmissão dos coronavírus se dá por contato próximo* de pessoa a pessoa.

Então pode ser dar ao compartilhar itens pessoais que contenham resquícios de saliva da pessoa infecctada, por exemplo: copos, talheres, escova de dente, etc.

* Definição de contato próximo: Qualquer pessoa que cuidou do paciente, incluindo profissionais de saúde ou membro da família; que tenha tido contato físico com o paciente; tenha permanecido no mesmo local que o paciente doente (ex.: morado junto ou visitado).

Atuação do coronavírus em crianças

Uma das maiores preocupações das famílias quanto as doenças virais estão nas crianças, geralmente mais suscetíveis a esse contágio pois tem sua imunidade ainda em desenvolvimento, por isso frequentemente estão nas faixas de riscos, mas ao contrário dos demais vírus, em relação ao Coronavírus as crianças não estão na maior faixa de risco, não foi divulgado nenhum caso grave envolvendo crianças até o momento.

O Coronavírus tem maior circulação e casos graves, inclusive envolvendo óbitos na faixa de pessoas acima de 60 anos de idade.

Como diferenciar uma gripe comum do Coronavírus?

Os principais sinais da Covid-19 são :

  • febre;
  • tosse (seca);
  • dificuldade para respirar.

Há pacientes com relatos de outros sinais como: coriza e dor de garganta.

A grande questão é que esses sintomas são idênticos aos sintomas de uma gripe comum, portanto é muito complicado diferenciar uma gripe comum de uma infecção pelo Coronavírus sem ser realizado o exame específico para constatar a infecção pelo Coronavírus.

O que os médicos e profissionais de saúde tem se baseado para direcionar o atendimento nesses casos, é a informação: se a pessoa visitou alguma região recentemente que há transmissão intensa de Coronavírus, até 14 dias antes dos sintomas aparecerem ou se entrou em contato com algum caso suspeito ou confirmado de Covid-19. Sendo profissionais da saúde também há suspeita eminente. Caso a pessoa não se encaixe em nenhuma dessas possibilidades citadas então, é provável que seja apenas uma gripe.

O recomendado é que mesmo sendo uma gripe comum, a pessoa adote medidas de higiene para impedir a transmissão para as demais pessoas (como uso de máscaras em locais públicos, repouso, medicação recomendada, hidratação, higienizar as mãos, não compartilhar utensílios de uso pessoal, etc.).

Quais são os maiores problemas e os públicos mais vulneráveis?

A OMS calcula que 1 em cada 6 pacientes pode ter um agravamento do quadro, com dificuldades respiratórias sérias. No início de março, a taxa de letalidade era de 3,5%. Mas o Ministério da Saúde suspeita que pode ser menor, em razão de haver subnotificação dos casos em alguns países. Os públicos mais vulneráveis são idosos e pessoas com doenças crônicas (diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares).

Letalidade do Coronavírus

Por faixa etária (em %)

  • 0-9 anos = 0
  • 10-19 anos = 0,2
  • 20-29 anos = 0,2
  • 30-39 anos = 0,2
  • 40-49 anos = 0,4
  • 50-59 anos = 1,3
  • 60-69 anos = 3,6
  • 70-79 anos = 8
  • 80 anos ou mais = 14,8

Fatores de aumento de risco (em vezes)

  • Doença cardiovascular = 11,7
  • Diabetes = 8,1
  • Doença respiratória crônica = 7
  • Hipertensão = 6,7
  • Ter 80 anos ou mais = 6,4
  • Câncer = 6,2

Fontes: Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, Organização Mundial da Saúde (OMS)

O novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar?

Não! Ele não é transmitido pelo ar, mas sim de pessoa a pessoa.

Animais de estimação podem transmitir o novo coronavírus?

Não. Não há evidência de que animais de estimação como gatos e cachorros tenham sido infectados ou possam espalhar o vírus que causa a Covid-19.

Quanto tempo o vírus pode durar em uma superfície?

A OMS informa que não há um tempo determinado, podendo ser de algumas horas a alguns dias. Pode haver diferença também em razão de condições como a temperatura. Por isso, caso alguém suspeite da contaminação de uma superfície ou objeto, a orientação é aplicar desinfetante.

O uso de álcool gel para prevenção ao coronavírus é eficaz?

Sim. De acordo com o Conselho Federal de Química, o álcool gel é “eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico para a pele”. O grau alcoólico recomendado para o efeito é de pelo menos 70%.

Preciso usar máscara para me proteger?

A máscara deve ser utilizada por pessoas que apresentem os sintomas da doença, de forma a prevenir que o vírus se espalhe (impedindo que as gotículas de saliva que contenham o vírus se espalhem). Sendo que o uso também é estendido para pessoas que tiveram o contato com pessoas que tenham suspeita ou confirmação do vírus. Também devem ser usadas por profissionais de saúde que atuam em locais com suspeita ou confirmação da doença. Após o uso a máscara deve ser descartada em um local adequado e deve ser feito a higienização adequada das mãos.

Mas para as pessoas no geral que não tenham a doença ou suspeita dela não faz efeito nenhum de prevenção o uso da máscara, uma vez que o vírus se transmite por contato e não pelo ar.

Que instituições podem realizar os testes para Covid-19?

O teste é realizado após avaliação clínica do médico e a pedido dele. A pessoa deve procurar os postos de saúde mais próximos. Até a próxima semana, todos os 27 Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACENs) do país estarão aptos a realizar a testagem para o coronavírus, segundo o Ministério da Saúde. A capacitação dos laboratórios estaduais está sendo realizada pelo Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como Centro de Referência Nacional em vírus respiratórios junto ao Ministério da Saúde e integra o esforço nacional de vigilância e monitoramento dos casos de coronavírus. Atualmente, além dos laboratórios de referência nacional para testagem do coronavírus, a Fiocruz, no Rio de Janeiro, o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e o Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará, os laboratórios centrais de São Paulo, Pará, Goiás e o Rio Grande do Sul já foram capacitados e estão testando para a doença.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude )

Existe tratamento para o coronavírus?

Até o momento não há medicação que elimine ou vacina que previna o Coronavírus. Segundo a OMS, 80% das pessoas se recuperam sem precisar de tratamento especial. O que se está sendo realizado é um tratamento para impedir o avanço da doença e diminuir o desconforto causada por ela.

O álcool gel é mais eficiente do que lavar as mãos?

Segundo o Ministério da Saúde, lavar as mãos corretamente ( por bastante tempo e de forma detalhada como entre os dedos, debaixo das unhas, retirando anéis, etc.) já seria o suficiente. Lembrando que esse procedimento deve ser feito várias vezes ao longo do dia.

Agora quem quiser além de higienizar as mãos utilizar o alcool gel, ganha com isso um reforço na proteção, mas não substitui o ato de lavar as mãos. O bom do alcool gel é que ele também pode ser utilizado para higienizar objetos e superfícies compartilhado por várias pessoas.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude )

Como lavar as mãos corretamente?

  1. Passe sabonete e água limpa nas mãos;
  2. Esfregue a palma de cada mão;
  3. Esfregue a ponta dos dedos na palma da outra mão;
  4. Esfregue entre os dedos de cada mão;
  5. Esfregue o polegar de cada mão;
  6. Lave o dorso de cada mão;
  7. Lave os punhos de ambas as mãos;
  8. Seque com uma toalha limpa ou papel toalha.

O ideial é que a secagem das mãos seja realizada por papel toalha, uma vez que a toalha pode ser compartilhada com outras pessoas e o papel toalha é descartável. Quando for fechar a torneira utilize um papel toalha para evitar entrar em contato novamente com bactérias que tenham ficado na torneira na hora de abrir a água.

(fonte: tua saúde)

Veja mais: Mini Berço MoisésQuarto Infantil CompletoBerço Moisés

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>