É verão! Saiba como evitar as doenças de pele mais comuns da estação

A exposição em excesso ao sol, praia, piscina e areia podem causar pequenos problemas na pele, saiba como evitar!

Sol, praia, piscina e calor… muito calor! No verão, os cuidados com a pele devem ser redobrados, porque o sol e a desidratação podem trazer muitos problemas como queimaduras, envelhecimento precoce, aumentando até mesmo o risco de câncer. Além disso, no decorrer da estação, a combinação: uso de pouca roupa + vestes molhadas + exposição solar intensa pode causar as famosas doenças de pele que, mesmo comuns, precisam de atenção.

De acordo com o dermatologista Erasmo Tokarski, especialmente durante o verão, recomenda-se usar diariamente, óculos de sol, roupas frescas, calçado aberto, além de beber bastante água e evitar a exposição solar entre às 11hs e às 16h.

Os cuidados com a pele são importantes durante o ano inteiro, mas na estação mais quente do ano precisamos redobrar a atenção para evitar surpresas e aproveitar o verão de uma forma mais saudável. O uso do protetor solar, por exemplo, deve ser feito diariamente, com reforço a cada 4h ou sempre que a pessoa tiver contato com a água.

Erasmo Tokarski

Confira quais são as principais doenças de pele e saiba o que fazer para combater as mazelas da estação:

• Queimaduras de sol

Quando a pele exposta ao sol fica avermelhada e bastante sensível ao toque, pode indicar que a pele foi danificada e encontra-se com queimaduras de raios solares.

Como tratar: os sintomas podem ser aliviados com o uso de compressas de água fria, analgésicos e loções corporais calmantes. A pele tende a soltar após cerca de cinco dias e para evitar é aconselhado beber bastante água e evitar o ressecamento da pele. Caso ainda assim a pele começar a soltar, é importante não remover e deixar que ela saia sozinha durante o banho.

• Micoses

Micoses são as infecções fúngicas que acometem a pele, o cabelo e as unhas e caracterizam-se por apresentar vermelhidão, descamação ou coceira. Normalmente aparecem em áreas de dobras, que são regiões mais quentes e que acumulam suor. As mais comuns são a pitiríase versicolor, popularmente conhecida como pano branco. E também as micoses de unha, que têm lesões provocadas pela onicomicose apresentam, em geral, sinais como o espessamento da unha, aumento da fragilidade (unhas quebradiças), distorções na forma, perda do brilho natural e escurecimento. No caso da candidíase, o primeiro sintoma é uma vermelhidão que se desloca para o chamado leito ungueal, a parte abaixo das unhas das mãos e dos pés.

Como tratar: um dos principais cuidados é evitar ficar com o corpo suado ou molhado por muito tempo. O dermatologista ainda pode indicar o uso de cremes ou loções que devem ser aplicadas diariamente até a completa eliminação das manchas na pele. No caso das micoses de unha, se o problema não for tratado de maneira adequada, a infecção é contínua. Ao detectar os sintomas da micose nas unhas, é importante ir o mais rápido possível ao dermatologista, que pode utilizar pomadas no tratamento e até mesmo o uso de laser, uma novidade para combater o problema.

• Bicho geográfico

É uma dermatite linear serpiginosa tropical causada por parasitas encontrados em fezes de gatos e cachorros doentes. A larva das fezes desses animais penetra na pele humana, causando coceira, vermelhidão e lesões semelhantes a mapas, por isso o nome bicho geográfico.

Como tratar: deve-se consultar um dermatologista para iniciar o uso de um remédio para vermes e ainda o uso de cremes e pomadas adequadas.

• Acne solar

A exposição ao sol e o calor dos dias típicos de verão tendem a agravar a oleosidade da pele, favorecendo o surgimento de cravos e espinhas. É comum que no primeiro dia de férias, com a exposição solar, a pele fique um pouco mais seca, o que parece que diminui as espinhas, mas no dia a seguir, a resposta natural do corpo será aumentar a oleosidade natural da pele, agravando a acne.

Como tratar: deve-se passar um filtro solar próprio para o rosto e lavar com sabonete adequado e usar loções próprias para acne. Também é importante evitar espremer cravos e espinhas, para que o rosto não fique manchado. Para os casos mais graves, podem ser recomendados antibióticos orais indicados pelo profissional de saúde.

• Brotoeja

A brotoeja é mais comum em bebês e crianças nos dias muito quentes, quando a pele fica úmida devido ao suor. As áreas mais afetadas são o pescoço, nuca, peito, barriga, costas e as dobrinhas dos joelhos e cotovelo. Em alguns casos ela pode provocar coceira e a criança fica muito irritada, chorando sem razão aparente.

Como tratar: normalmente não é necessário um tratamento específico, mas pode ser evitada ao usar roupas frescas e evitar locais muito quentes e úmidos. Colocar um pouco de talco nas regiões mais afetadas pode também ajudar inicialmente.

• Queimaduras com limão

O suco das frutas cítricas em contato direto com a pele pode causar queimadura quando esta é exposta ao sol, causando uma mancha escura na pele chamada fitofotomelanose. Apesar desse tipo de queimadura ser mais comum com limão, a laranja, a tangerina e a toranja também podem causar esse tipo de lesão.

Como tratar: quando se formam bolhas o tratamento é o mesmo que numa queimadura por água. Já quando a pele está manchada e escura pode ser necessário o uso de uma loção ou pomada clareadora indicada pelo dermatologista.

Fonte do Site: www.soumae.org

Veja mais: Berço | Quarto de Bebê | Poltrona de Amamentação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>