Moleira do bebê – quais cuidados devemos ter? e quando ela fecha?

A moleira do bebê é aquela parte mais molezinha que se encontra na parte frontal e posterior da cabeça do bebê. Em termos técnicos é uma membrana fibrosa que ocupa os espaços entre os ossos do crânio do bebê, e também é conhecida como fontanela. Ela é mole e flexível, e extremamente necessária, pois o cérebro do bebê está em crescente desenvolvimento e está aumentando de tamanho desde o momento do nascimento até por volta dos 2 anos de idade, que é onde o volume do cérebro aumenta consideravelmente, geralmente em torno de 10 cm só no primeiro ano de vida.

Se não fosse esse espaçamento o bebê poderia ter uma má formação neurológica, pois o cérebro do bebê estaria crescendo e não teria espaço para expandir. Uma outra razão de nascermos com essa “moleira” é para facilitar a passagem do bebê pelo canal vaginal na hora do parto, tudo muito bem pensado!

As moleiras (frontal e posterior), também chamadas de fontanela devem ter um aspecto plano ou levemente deprimidas (afundadas) e elas também podem pulsar, sendo resultado da atividade da pressão arterial do cérebro. A fontanela posterior costuma ser a primeira a fechar, geralmente em torno dos dois meses de idade, enquanto a fontanela frontal demora em torno de 24 meses para fechar totalmente (podendo sofrer variações de criança para criança).

Quais os cuidados que devemos ter com a moleira do bebê?

Tirando os excessos que as vezes a gente como mãe cai, o maior cuidado que devemos ter nesse início da vida do bebê, é fazer um acompanhamento pediátrico mês a mês, para que o pediatra possa verificar se a moleira está se desenvolvendo corretamente. Também é importante para qualquer mudança repentina, informar ao pediatra como:

  • Moleira Alta: pode ser resposta de um aumento na pressão craniana do bebê ou uma infeccão;
  • Moleira Baixa:significa que o crescimento craniano está abaixo do normal, resultado de desidratação ou de outras doenças;
  • Moleira Pulsando: é normal ela pulsar um pouco, mas pode aumentar esse quadro no caso de tosse, cólicas ou febre.

Cuidados na hora do banho do bebê, para não apertar a fontanela na hora de higienizar a região caso haja a formação de cascas, não se recomenda fazer pressão para fazer a limpeza, então opte por utilizar um pedacinho de algodão embebido em óleo de bebê e limpar suavemente a região. Também procure evitar usar faixas no cabelo do bebê que comprimam essa região.

Fique atento pois o fechamento precoce ou tardio da fontanela podem representar alguns problemas como:

Hidrocefalia

A Hidrocefalia é uma doença no qual ocorre o aumento da quantidade de líquido cefalorraquidiano no cérebro, que em excesso aumenta a pressão dentro do crânio.O bebê que nasce com Hidrocefalia tem uma moleira que demora muito mais do que normal de tempo para fechar, e leva ao crescimento acelerado da cabeça e dificuldades no desenvolvimento neurocognitivo.

Portanto quanto mais cedo a descoberta, melhores resultados terão as intervenções que serão realizadas, para minimizar as complicações da doença.

Cranioestenose

A cranioestenose é o fechamento precoce de uma ou mais suturas cranianas, ou seja a criança nasce com a moleira já fechada, ou apresenta o fechamento antes dos 6 meses de vida. Essa condição implica no impedimento do crescimento normal do cérebro, podendo causar deformidades na cabeça do bebê e até mesmo lesões neurológicas gravíssimas. Ocorre um caso para cada 2.000 crianças nascidas, ela é mais comum em meninos. É uma doença congênita, inicia-se na fase de embrião ainda, e pode ocorrer por questões hereditárias, intra-uterinas, infecções ou pelo uso de certos medicamentos durante a gravidez como anticonvulsionantes. O tratamento para essa condição é cirúrgico, aonde criam-se espaços nos ossos do crânio para o desenvolvimento do cérebro do bebê.

Moleira Alta

Fique atento caso a moleira do bebê ficar alta, neste caso você precisa observar se ela está flexível ou tensa. Se estiver alta e tensa é sinal de que está aumentando a pressão no cérebro por algum motivo, que precisa ser investigado com urgência.

Caso ela esteja alta mas flexível pode ser apenas um sinal de esforço, quando a criança chora muito, vomita ou tem cólicas pode aumentar a pressão interna do cérebro por conta do esforço e como consequência acabar elevando a região da moleira.

Como analisar a moleira do bebê:

Moleira do bebê. Imagem: BabyBoo Blog

Com a criança em pé ou sentada (não faça essa avaliação com a criança deitada). Faça em um momento de tranquilidade e calmaria ou quando o seu filho estiver distraído para poder avaliar melhor a moleira sem a interferência de agentes externos de estímulos. Lembre-se que a moleira pulsa, por isso não se assuste.

Moleira afundada ou baixa

A moleira baixa pode ser sinal de desidratação e desnutrição, podendo ser um caso isolado, como em um dia muito quente, neste caso a criança ingere líquidos e observa-se uma melhora significativa, ou pode ser um quadro grave necessitando de intervenção médica. No caso de desidratação outros sintomas também estão associados como peles e lábios secos, olhos fundos, fralda seca, criança mais abatida, etc.

Fonte do site: soumae.org

Veja mais: Sintomas de gravidezCômodaMini Berço

Comentários de “Moleira do bebê – quais cuidados devemos ter? e quando ela fecha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>