Comprando o cadeirão: tudo que você precisa saber!

Qual é o tamanho ideal? E a altura? Existem vários modelos? Pois é… Comprar o cadeirão para o bebê talvez seja mais difícil do que você imaginava. Pensando nisso, organizamos as principais informações que devem ser levadas em conta na hora de realizar a compra.

Quando é a hora de pensar em adquirir um cadeirão?
Quando o bebê inicia a sua alimentação complementar ao aleitamento materno, isso começa a acontecer por volta dos seis meses. Nessa idade, ele ainda senta com apoio, então essas primeiras experiências alimentares ocorrem no colo da família, que segura o bebê e oferece algum alimento. É por volta dos oito meses que a maioria dos bebês já senta sozinho e tem interesse nas atividades da família durante as refeições. Nesse momento, já é interessante possuir uma cadeira de alimentação.

Por que ter um cadeirão?
Muitos pais consideram o cadeirão um gasto supérfluo e acham melhor alimentar o bebê no colo até ele ter tamanho suficiente para se sentar à mesa. A criança se socializa com a família e fica à vontade para experimentar os novos alimentos da mesa que lhe são oferecidos. Também é importante levar em consideração a criação de uma rotina da família, na qual o bebê aprenda que aquele é o lugar das refeições. Como a atividade de alimentação é familiar, é importante que os pais comam junto com a criança, para que ela aprenda os modos à mesa, como mastigar, segurar os talheres, uso do guardanapo etc. Também é de grande importância olhar para a criança na hora de alimentá-la. Manter o contato visual é bom não só para estabelecer um vínculo afetivo, como também para perceber os sinais que a criança dá, como a aproximação ou afastamento da colher, que indicam se ela já está cheia ou não.

Até quando a cadeira será necessária?
Atualmente a recomendação é que as cadeiras suportem um peso de até 15 kg, embora a grande maioria seja estruturada para aguentar um pouco mais, por segurança. Portanto, não é possível estabelecer uma idade limite, já que as crianças se desenvolvem em velocidades diferentes, é estimulado que por volta dos três anos de idade o cadeirão começa a ser posto de lado, quando o pequeno já consegue alcançar a mesa com o auxílio de uma almofada para elevar o assento da cadeira. O uso deve ser feito enquanto a criança se sentir cômoda. ?O cadeirão tem limitações, ele prende a criança, restringe seus movimentos? explica ele. ?Quando aquilo começar a incomodá-la, é a hora de pensar em outro arranjo?.

Existem diferentes modelos de cadeirões?
Existem diversos modelos de cadeiras de alimentação, cada um com suas vantagens e desvantagens, que podem ser separadas em três principais categorias. Segundo os especialistas, não é possível dizer que um é melhor que o outro.

– Modelo tradicional: aquele em que a cadeirinha e a bandeja são elevadas por um suporte alto. Tem como vantagem restringir a bagunça da criança ao seu próprio espaço, sem sujar a mesa e as outras pessoas. No entanto, devido ao seu tamanho, não é muito portátil e costuma ser o modelo mais caro.

– Cadeira que se acopla à mesa: consiste basicamente de um assento que se encaixa no tampo da mesa. A vantagem é que permite que o bebê coma junto aos familiares, na mesma altura, além de ser leve e fácil de transportar. Por outro lado, geralmente não tem bandeja e não é reclinável.

– Booster: são assentos que se prendem com cintos às cadeiras, elevando a criança. Assim como o modelo que se prende à mesa, tem a vantagem de ser bastante portátil, mas é preciso prestar atenção no tipo de cadeira a ser utilizado, para que fique bem fixo e a criança não corra risco de cair.

Fonte do Site: bebe.abril.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>