O nome do bebê

5 dicas para acertar na escolha

A escolha do nome de um bebê é cheia de significados. Ela traz os gostos, a história e a expectativa dos pais, além de marcar o princípio do vínculo com aquela criança que está para nascer. ?O filho começa a existir de verdade para a família no momento que recebe um nome?, afirma a psicóloga Inúbia Duarte, do Instituto de Ensino e Pesquisa em Psicoterapia, de Porto Alegre (RS).

As motivações que levam à escolha do nome do filho variam. Duas mães que optaram por Joaquim não necessariamente tinham a mesma intenção. Uma delas pode ter feito uma homenagem a um parente, enquanto a outra simplesmente é fã da apresentadora Angélica, que é mãe de Joaquim, 8 anos, Benício, 5, e Eva, 1. ?Hoje em dia, um nome é muito mais ideológico do que identificador, como foi no passado?, afirma a linguista Patrícia de Jesus Carvalhinhos, professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Isso porque, atualmente, o significado já não faz diferença na vida do indivíduo.

Para Patrícia, por vivermos em um mundo globalizado, os nomes também sofrem influência da mídia, da TV, das redes sociais. Ela explica, porém, que embora o acervo seja maior, nem sempre as pessoas inovam. Tanto que os nomes clássicos, como Pedro, Bernardo, Esther e Eduarda, só para citar uns exemplos, seguem na moda.

Segundo Clotilde Perez, professora de ciências da comunicação da USP e da PUC-SP, faz todo o sentido. A mesma globalização e seu excesso de informações, que tornam as coisas tão voláteis, acabam por nos deixar meio perdidos. ?Por isso, estamos buscando as nossas raízes e damos valor a tudo o que nos traz uma memória afetiva, como a família, o vintage, o remake?, explica. Assim, se a geladeira vermelha parecida com a que a sua avó tinha é a última tendência, o nome dela também o é! ?Um nome, afinal, funciona como um espelho da cultura?, completa Patrícia.

Acerte na escolha!

* Discuta o nome com o parceiro e, se quiser, com a família também. Mas a decisão tem de ser algo que VOCÊS gostem.

* ?Roubaram? o nome que você escolheu? Aposte em nomes compostos. Pedro, por exemplo, pode virar João Pedro. Pronto: ficou único outra vez!

* Escolha um nome que signifique algo para você. Assim, a escolha vai ser duradoura ? e não apenas algo que estava na moda.

* Não sabe se o nome vai combinar com o seu filho? Que tal esperar ele nascer para ver o rostinho dele?

* Inove! Se quer um nome descolado, pode inventá-lo ou buscar uma palavra que não seja frequentemente usada para nomear pessoas, como Amora ou Mel. Tenha em mente, porém, que o oficial do cartório pode recusar prenomes que exponham a criança ao ridículo.

Fonte: Revista Crescer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>